Os programas de loggin destinado a concursos como o CT de K1EA e WriteLog de W5XD entre outros utilzam as portas série e paralela do computador para o chaveamento do transceptor tornando muito mais eficiente as trocas durante os concursos.

O tipo mais simples de interface consiste numa montagem inversora com um transistor NPN para a porta paralela, o desenho abaixo ilustra a montagem. Repare-se que o transistor pode ser qualquer NPN e os valores quer da resistência quer do condensador não são críticos. Esta montagem só apresenta a disvantagem de ser algo sensível à interferências em especial quando se opera com potência adicional, bandas baixas ou com sistemas de antena que apresente uma relação de ondas estacionárias pouco recomendável. Facilmente se dispõem estes componentes dentro da ficha DB-25.


Uma forma mais aperfeiçoada de interface consiste em utilizar um opto-isolador (ou opto-coupler) pois torna a montagem (supostamente) menos atreita a problemas de interferências. Tendo em conta que as portas seriais normalmente se apresentam com fichas de 9 ou 25 pinos e que o tipo de sinal pode ser DTR ou RTS elaborei o seguinte quadro resumo:

 

Para o caso de haver alguma dúvida na interpretação do quadro acima dou o seguintes exemplos:
Pretendendo fazer um interface DTR para a porta série que tem um conector de 25 pinos deverei realizar a montagem tomando o chassis, o pino 20 (pois para RTS seria o 4) e o pino 7.

Em baixo a montagem prática dentro de um conector DB-9 repare nas ligações feitas aos pinos 4 e 5 e ao chassis, portanto DTR.

Voltar à página inicial